Judd Marriott Mendes in Versus

O Sagrado que habita em mim, ama o Sagrado que habita em ti ...

Áudios

Companheiro do Vento - Esther Lessa
Data: 28/11/2017
Créditos:
Esther Lessa, Companheiro do Vento, soneto

Soneto Autora no RL;
http://www.recantodasletras.com.br/sonetos/6184341
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Zaho e poesia Esther Lessa). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

COMPANHEIRO DO VENTO // SONETO 140
DEUS  SEJA  LOUVADO !    
SONETO  140

Para VIDA  ERRANTE do querido poeta JUDD MARRIOTT MENDES


                                COMPANHEIRO  DO  VENTO
       Quem  com  o  vento  erra  e  brinca, voa  pra longe  e  retarda  a
     volta !   Esther  Lessa                  


                 Por que  com  o  vento   erras  pelos  caminhos?
                   (E ) te  desligas  das  hastes  da  esperança...
                      Levando  contigo    em   tantas  andanças ...
                     Tudo   o  que  te  ofertei,  o   meu   carinho?

                      E   te   perdes   em   sentires   mesquinhos
                  Se  certo  é  que  a  balbúrdia  engana  e  cansa?
                 Por  que  te  esqueces  nossas  belas  lembranças
                     E   não  voltas   desses   teus   descaminhos?!

                         Ah ! Se souberas do  meu peito  a  dor
                       De  saber-te  assim  sem  mim  e  perdido !
                         Não   lamentavas   a   falta   do   amor!  

                         Que  aqui  te  espera  coração  rendido
                          Beijos,  perdão , ternuras  e  dulçor
                         Pra qu’ sintas quão bom voltar terá sido!

                     **********************************  

                                                                                 INTERAÇÕES

              Encantada demais, querido poeta jbJOÃOBATISTA!Só tenho a agradecer! Obrigadíssima!

                                        Quando o vento soprava...
                                           Em brisa suavemente...
                                          De carinho se precisava...
                                   Indo embora ficou calor ardente...

                                          Aquela quadra eu fiz...
                                        Pensando em te alegrar...
                                     Querendo muito te agradar...
                                        Tentando te fazer feliz...

                                             Depois fiz o soneto...
                                    A quadra usei, pois achei bonita...
                                Me perdoe se errei, peço não fique aflita..

                                                Foi essa a razão...
                                             Não pensei te magoar...
                                 Espero agora, que possa me perdoar.

*********************************************************
Enviado por Esther Lessa em 28/11/2017



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras