Judd Marriott Mendes in Versus

O Sagrado que habita em mim, ama o Sagrado que habita em ti ...

Áudios

A leviandade com que abres as coxas -Judd M Mendes
Data: 08/11/2017
Créditos:
Judd Marriott Mendes, A leviandade com que abres as coxas, sonetos.
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Adele, soneto Judd Marriott Mendes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



A leviandade com que abres as coxas


A leviandade com que abres as coxas
Aflora e reluz tua linda clava
A mansidão de ovelhas mochas
Tão espetada que a alargava.

Ah, metida mais doce da vida
Tiro te gritos sem nada dizer
Em pegas e amasso toda estendida
Deixo te contorcer deleitando em prazer.

Rouba me o tempo mas não o pão
Leva me a ilusão mas não a vida
Aproveita te do meu corpo em vão.

Entre os céus e o mar, apenas vento
Jamais tristeza, julgamento ou lamento
Procure me sem pensar antes do firmamento.
Enviado por Judd Marriott Mendes em 08/11/2017

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Judd Marriott Mendes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras